jusbrasil.com.br
21 de Outubro de 2019

Perfis de escritórios de advocacia

Compreendendo o full service, a boutique e a abrangência.

Raphaella Reis, Advogado
Publicado por Raphaella Reis
há 3 anos

Perfis de escritrios de advocacia

Você está navegando pela internet, e abre o site de um escritório de “advocacia integrada especializada”. Outra banca, em página do LinkedIn, se descreve como “advocacia boutique”. Então, o Conjur noticia que a última pesquisa da Análise Advocacia 500 determinou que o mercado prefere bancas "full service".

Nomes assim são frequentes no mundo jurídico, e as pessoas entendem cada vez menos destas alcunhas. O escritório boutique vem com vitrine da Gregory? E o full service, faz massagem? E as bancas abrangentes, atendem pelo SUS? O que tudo isso significa e como essas denominações influem num escritório de advocacia?

Os escritórios de advocacia se posicionam no mercado desta forma, pois estes nomes assinalam a esfera de atuação da banca, e facilitam a procura de assessoria jurídica pelo cliente. Para quem está buscando orientação jurídica, é conveniente saber como encontrar uma banca qualificada e dentro das possibilidades.

Frases como “advocacia integrada especializada” são cuidadosamente planejadas, para que se saiba como a banca trabalha, e com quê; e principalmente, qual o público atendido, e quanto vale o passe dela. A denominação e o posicionamento de mercado são chaves importantes do marketing jurídico: elas não só auxiliam na notoriedade do escritório, como facilitam a prospecção de clientes.

Um escritório full service, por exemplo, geralmente é uma banca grande (ou seja, atende empresas de grande porte e gerencia demandas judiciais por tonelada). Uma banca full service atende o maior número de áreas jurídicas possível, e conta com uma equipe imensa, recheada de especialistas – os que entendem do ramo específico – e generalistas – os que analisam o caso sob várias óticas – em N ramos, não somente no jurídico.

O escritório de advocacia boutique – ou advocacia integrada especializada, se preferir – atende um segmento de mercado específico. As bancas boutique oferecem serviços diferenciados dentro dessa área, atendendo de forma restrita.

Um exemplo é o escritório Toron, Torihara e Szafir Advogados, voltado para a área criminal. Crimes contra o ambiente, contra a Administração Pública, contra a honra, contra as relações de consumo, falimentares, mas sempre crimes.

Ricardo Lacaz Martins– fundador de um dos maiores escritórios full service do país – acredita que as boutiques não se sustentam a longo prazo. Entretanto, observando o mercado jurídico, o que se constata é que as boutiques possuem destaque cada vez maior, e acabam se consolidando como bancas full service, pela demanda dos clientes. É o caso de Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. E Quiroga Advogados, escritório aberto em 1992 como boutique e hoje um dos gigantes full service, do país, com atuação internacional.

E os escritórios abrangentes, onde ficam? Há quem diga que são o meio-termo. Uma banca abrangente tem uma área jurídica principal, na qual se especializa e concentra esforços, porém não deixa de atender outros ramos jurídicos, conforme a demanda da clientela e a expertise dos advogados. O escritório Barbosa, Müssnich & Aragão Advogados se consagrou na categoria abrangente, e cresceu tanto que hoje é considerado um escritório full service.

Sabendo disso, qual seria o perfil de banca mais adequado para você? O mundo jurídico é sua ostra neste momento. Basta encontrar a categoria que melhor se adapta às suas necessidades e possibilidades, seja como advogado buscando colocação no mercado ou definição de perfil empreendedor, ou como cliente, em busca do perfil de atuação mais conveniente ao seu momento jurídico.

Texto publicado no LinkedIn em 21.11.2016. Para ver o original, clique aqui.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)